Rua Barata Ribeiro, 490 • 5º andar

Doutor Explica

Doutor Explica

Perguntas e Respostas

O câncer de pele pode recorrer se todas as células não tiverem sido removidas ou destruídas. O câncer de pele recorre mais freqüentemente nas áreas onde sua ressecção é mais difícil como couro cabeludo, nariz e orelha. As recorrências acontecem principalmente nos 2 primeiros anos. Por esta razão, o seguimento é necessário por 5 anos, principalmente nas pessoas de alto risco. A maior parte do dano solar à pele é irreversível. Há maior risco de um novo câncer de pele se desenvolver nas áreas de pele danificada pelo sol. Em 10% dos pacientes, encontra-se mais de um câncer de pele.

A menos que o tumor seja grande e demande uma reconstrução cirúrgica maior, não deverá haver deformidade. Se o câncer for de grandes proporções, então será necessária uma cirurgia reparadora para se obter um resultado mais satisfatório. Na maioria dos casos, uma sutura simples é suficiente para fechar a ferida operatória. Em grandes feridas operatórias, retalhos de pele ou enxertos podem ser necessários. Em raros casos de destruição tecidual extensa, uma prótese pode ser utilizada. As modernas técnicas cirúrgicas nos tornaram capazes de produzir resultados esteticamente adequados.

A maioria das cirurgias para o câncer de pele causa pouca dor e muito pouco sangramento. Nós recomendamos analgésicos comuns como dipirona para a dor, em vez de aspirina. Normalmente nenhuma outra medicação para dor é necessária. O sangramento é mínimo. Pode ocorrer edema que regride em pouco tempo. Se for necessário o uso de sutura, esta deverá ser removida em aproximadamente 7 a 14 dias. Dormência ou hipersensibilidade pode ocorrer e persistir por até 2 anos. O prurido pode ser aliviado com hidratantes.

A exposição solar crônica causa manchas e lesões na pele, chamadas de queratoses actínicas, que podem se transformar em um carcinoma da pele. Elas são crostosas, usualmente róseas, cinza, amarelas ou marrom claras. Elas podem cair e recorrer no mesmo local. A terapia destrutiva local é usualmente suficiente; freqüentemente uma biópsia pode vir a ser necessária. Seu médico determinará o que precisará ser feito.

Lentigos ou manchas senis não são difíceis de serem removidas. Tratamentos com nitrogênio líquido ou neve carbônica são normalmente empregados para este fim, assim como cremes à base de ácido retinóico, glicólico ou kójico.

Uma lesão que é pequena em sua superfície pode se estender profundamente, invadindo a pele e até mesmo os órgãos mais profundos. A biópsia é necessária para se diferenciar entre os vários tipos de câncer de pele, permitindo a escolha do tratamento mais correto. Devido ao câncer de pele poder se alastrar além de suas margens, é necessário, para garantir a remoção completa de todas as células tumorais, a remoção completa do tumor com uma margem de segurança de tecido normal ao seu redor.

Qualquer um pode ter um câncer de pele, mas ele é particularmente comum em dois grupos: aquelas de pele muito clara e aquelas que constantemente se expõem ao sol, como agricultores, velejadores, pescadores, jardineiros, trabalhadores da construção civil (apesar de trabalhadores que não trabalham ao sol, mas com exposição solar intermitente porém intensa, poderem desenvolver melanoma). O câncer de pele parece ter um componente hereditário, e a exposição a certos produtos químicos como os arsênicos podem causar câncer. Apesar da doença ocorrer principalmente em indivíduos idosos, o dano solar provavelmente ocorreu muito antes. Hoje em dia tratamos pessoas aos 20 ou 30 anos de idade com câncer de pele.

Toda cirurgia deixa uma cicatriz, algumas em locais escondidos, outras em locais que normalmente são expostos. As cicatrizes variam de acordo com o local operado, a predisposição genética, os cuidados pós-operatórios e a técnica utilizada. Cirurgias de aumento, como a de inclusão de implantes mamários, por exemplo, podem ocasionar o aparecimento de estrias na pele de pessoas predispostas.

Orientais e negros possuem uma maior tendência a formação de quelóides (cicatrizes que ultrapassam as bordas da incisão) ou cicatrizes hipertróficas (alargadas ou elevadas, mas que não ultrapassam as bordas da incisão).

A mesoterapia na gordura localizada é feita com enzimas e derivados hormonais, principalmente os tireoidianos. Às vezes podem ocorrer seqüelas desagradáveis, como atrofia do local injetado, infecções das mais variadas ou mesmo reações alérgicas a determinados ingredientes injetados.

Quando o tratamento for combinado com os hormônios tireoidianos, a perda de peso do início do tratamento pode ser enganosa. Ao final do tratamento pode ocorrer um aumento de peso dobrado, causado por um descontrole da tireóide. Infelizmente, a medida é praticada muitas vezes por indivíduos não habilitados, que não sabem os malefícios sistêmicos provocados pelas substâncias utilizadas, piorando o prognóstico.

As verrugas são processos infecciosos causados por vírus. Aparecem em pessoas propensas e/ou com baixa imunidade, sendo comum em crianças e adolescentes. Caracterizam-se por pequenas projeções amareladas, negro-acizentadas ou amarronadas com superfície papilomatosa áspera. As verrugas são disseminadas por contato direto ou indireto. Já que os traumas locais promovem inoculação do vírus, muitas verrugas são vistas nos dedos, mãos e cotovelos.

Verrugas perigosas são as que se manifestam nos órgãos genitais, porque podem predispor ao aparecimento do câncer do colo do útero e do pênis. Mais comum em adultos, pode ser adquirida por transmissão sexual. O achado de verrugas genitais em crianças deve levantar a suspeita de abuso sexual.

Os preenchimentos são indicados para correção de rugas, ciatrizes e perda de volume. A região mais comumente tratada é o sulco nasogeniano (área ao redor da boca) e lábios, existem várias substâncias no mercado, as mais utilizadas são à base de ácido hialurônico, sendo considerado um dos produtos mais seguros. É reabsorvível e com duração média de 6 a 12 meses, nos pacientes com contra-indicação ao uso desse produto, pode ser realizado preenchimento com a própria gordura.

É divulgado nos meio de comunicação que a bioplastia consiste em uma plástica sem cortes, que pode ser aplicada no rosto e no corpo e que o material injetado pode ser utilizado em ossos, músculos, gordura e pele.

O fato é que a bioplastia consiste em injeções de microesferas de polimetilmetacrilato (PMMA), uma substância inabsorvível e definitiva. É utilizado na medicina desde os anos 50 em próteses de quadril e posteriormente para implantes intra-oculares. Só recentemente passou a ser utilizado em tratamentos estéticos. Até o momento, a vigilância sanitária liberou esse produto em seringas de 1ml para a correção de pequenos defeitos.

Utilizam-se quantidades absurdas, como 100, 200, ou até mesmo 500 ml, como por exemplo, no aumento de glúteos. Há o risco comprovado de uma grande quantidade de complicações em decorrência do uso do PMMA como grandes áreas de necrose, infecções precoces ou tardias de difícil controle e até mesmo cegueira. Quando usado em grandes volumes, não há nenhuma comprovação de segurança a longo prazo.